PROJETO FARMASENSE - Inovações na deteção e tratamento de fármacos em águas residuais


Co-financiado por:

Designação do projeto | FARMASENSE – Inovações na deteção e tratamento de fármacos em águas residuais
Código do projeto | NORTE-01-0247-FEDER-039957
Objetivo principal | Reforçar a investigação, o desenvolvimento tecnológico e a inovação
Região de intervenção | Norte
Entidades beneficiárias | WEDOTECH, AST-AMBIENTE, ISEP

Data de aprovação | 18/04/2018
Data de início | 01/07/2018
Data de conclusão | 30/06/2022
Custo total elegível | 705 450.34 €
Apoio financeiro da União Europeia | FEDER 497 344.87 €

Objetivos, atividades e resultados esperados |

A realidade dos poluentes emergentes impõe novos desafios no campo do tratamento de águas residuais, assim como na deteção e quantificação para monitorização destes poluentes em águas residuais e superficiais. O projeto FARMASENSE propõe-se desenvolver uma metodologia analítica para deteção de fármacos em águas residuais, e investigar uma nova tecnologia para o seu tratamento. A metodologia analítica a desenvolver será de elevada sensibilidade e seletividade para deteção e quantificação de fármacos normalmente presentes em águas em quantidades vestigiais. Terá como vantagens ser mais expedita e económica face às metodologias analíticas convencionais para ser utilizada como metodologia de rotina no controlo ambiental da qualidade de águas e efluentes. Relativamente às tecnologias de tratamento destes poluentes, pretende-se investigar a aplicação de uma tecnologia com base em plasma não-térmico como alternativa segura, eficaz e competitiva no tratamento avançado de efluentes.

Os objetivos científicos do projeto FARMASENSE são os seguintes:

⦁ Desenvolver um protótipo de sensor eletroquímico molecularmente impresso (MIP) de elevada seletividade e sensibilidade para rápida deteção e quantificação de 2 fármacos selecionados presentes em águas residuais.

⦁ Investigar estratégias de pré-tratamento de amostras para aumento da sensibilidade da metodologia analítica baseada no sensor MIP desenvolvido, que permitam a deteção de fármacos presentes em águas residuais numa gama de concentração que viabilize uma aplicação comercial.

⦁ Caracterizar e otimizar a capacidade de um tratamento inovador com base em plasma não térmico, per se e em combinação com outras tecnologias, para eliminação de fármacos de águas residuais.

Para concretizar os objetivos propostos neste projeto, foi concebido um plano de trabalhos constituído pelas seguintes atividades:

1Caracterização e seleção de efluentes e poluentes alvo
2Desenvolvimento de sensores MIP em elétrodos SPCE
3Aplicação e validação do sensor em amostras ambientais
4Conceção de reator de plasma não-térmico
5Estudos de tratamento plasma não térmico à escala piloto
6Avaliação de impactos
7Promoção e divulgação
8Gestão de projeto

O projeto FARMASENSE é liderado pela WEDOTECH, e realizado em parceria com a AST-Ambiente e Instituto Superior de Engenharia do Porto (ISEP). O projeto teve início em Julho de 2019 e decorrerá até Junho de 2022. Os resultados deste projeto contribuirão para um maior conhecimento sobre esta temática, respondendo a necessidades prementes no sector das Águas.

O projeto FARMASENSE (refª. 39957) é financiado ao abrigo do Sistema de Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico do Portugal 2020, pelo Programa Operacional do Norte (NORTE 2020) e Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).

“Lopes et al, Sensors and actuators B: Chemical, vol 243, 2017”